quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Qual tua opinião?



Muita informação!
A dificuldade de escolher entre tantas possibilidades pode virar um stress.
O que fazer, como ter uma opinião, em quem acreditar ...
Essa tem sido uma queixa bastante comum.
A flexibilidade é uma das qualidades da água.
Um rio quando encontra uma pedra passa ao lado, não insiste.
Numa situação de embate, de ser obrigado a ter uma opinião é delicioso se imaginar um rio flexível, que não luta, passa ao lado.
Qual a vantagem de manter a todo custo uma opinião? Pra que serve a teimosia?
Se tudo muda o tempo todo....as opiniões também estão sujeitas à impermanência.
Na verdade, que diferença faz ficar apegado a uma opinião?
A verdade continuará sendo a verdade.

Platão afirmava: “nunca deveríamos morrer por nossas ideias pois elas podem não ser verdades”                                                                                    

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

O desafio das mudanças



A vida nos obriga a fazer mudanças.
As vezes fingimos que não estamos precisando fazer essas mudanças, adiamos, adiamos, adiamos...
Tentamos adiar porque mudar implica em transformar, pouco ou muito, mas sempre transformar.
Gosto de mudar, mesmo que às vezes isso dê um certo medo, uma certa dúvida.
Às vezes evitar mudar chega perto de preguiça, porque mudar dá trabalho.
Nosso Mestre interior sempre aponta a hora de mudar, sempre.
Quando não “ouvimos”, esses recados aparecem no corpo através de sofrimentos físicos, mentais ou no ambiente.
Lembro do tempo em que o centro de Dharma ocupava uma linda pequena casa (ainda nutro imenso afeto por ela) só que estava apertado para tanta gente e a mudança ia sendo adiada.
Um assalto às vésperas de um retiro importante apontou para urgência dessa mudança, e assim foi.
Mudança é sinal de crescimento.
Pensando bem: é só acompanhar o fluxo, porque tudo está mudando.
O que não se altera e não muda, morre.
Alegre-se pelas mudanças.

Desloque-se.                                                                                       

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Diálogos internos



A sensação é que existe uma outra pessoa dentro de nós com quem discutimos, analisamos, julgamos.
Cenas se repetem, relembramos as situações novamente, novamente, novamente.... como um disco girando.
Duvidas surgem.
Vontade de se esconder, de desaparecer, reviver situações com outras respostas, conquistar novas oportunidades, ensaios do que pode acontecer etc.
Uma loucura só já que apenas temos o momento do agora.
Agora é resultado do ontem e semente do amanhã.
Quem produz essas dúvidas?
O ego medroso; ele foi se instalando na nossa mente, cresceu conosco e age como dono de nossas escolhas.
Esse ego é inimigo da liberdade, da aventura. Ele é pura dúvida.
Crescimento também é procurar por pessoas e lugares que nos ajudem no encontro com nossa autoconfiança e autonomia.
Sempre sorrindo! Porque o ego medroso não gosta de sorrisos e alegria.

Aliás...só para alertar: esse ego não tem existência real

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

No caminho havia uma pedra



No caminho daqueles que buscam um sentido espiritual para sua vida há vários desafios para encarar e muito para aprender.
Temos que que descobrir formas para lidar com os obstáculos e dificuldades.
.......
E como processar duvidas e enxergar através de visões incorretas
E como buscar inspiração
E como compreender a nós mesmos e nossas “luas”
E como integrar ensinamentos e praticas
E como evocar compaixão e coloca-la em pratica
E como transformar nossas emoções e sofrimentos
......
Faz parte.....
Por isso no caminho espiritual precisamos o suporte de uma boa base para conhecer bem os ensinamentos; nunca é demais estudar.
Quanto mais estudamos e praticamos, mais conquistamos discernimento, clareza e intuição.
Assim quando a verdade bater, você a reconhecerá e, com alegria, abrirá a porta.
Você descobrirá quem você realmente é, tua verdadeira face com teus próprios olhos.
Assim: pratique, pratique, pratique. Confie, confie, confie.                                                                                       

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Para viver a mudança



Lembrar de 10, 15 anos atrás é a melhor forma de entender a impermanência.
Não precisa tanto; lembra da nossa querida “Gruta Budista” que ocupamos até junho passado. Já era.
A esquina toda vai se transformar numa grande academia. De repente... simples assim: 5 casas demolidas em 15 dias, 5 famílias mudando = uma academia.
.......
Quanta coisa aconteceu que você não previa...quanta coisa aconteceu que você nem podia imaginar.
Coisas ruins sumiram, outras se agravaram e outras tantas surgiram não se sabe de onde.
Sonhos viraram realidade, sonhos se despediram.
Encontros e desencontros.
Onde você estava, com quem, fazendo o que, esperando quem, saindo para onde ou chegando num mesmo lugar....
O corpo te deu sustos, a chefia insuportável foi embora, o emprego terminou....o dinheiro acabou ou ...ficou sempre no limite....ou ganhos extras te alegraram?
A vida surpreende: movimento o tempo todo.
Para que deixar as coisas tão solidas????? Tudo passa, tudo muda, tudo mesmo.
Mas quando parece que não vai passar tenho um truque; ou melhor, aprendi um truque lendo ensinamentos.
Obrigue-se a encontrar um momento para relaxar diariamente ou, pelo menos, no final de semana; imagine que a situação difícil ou a pessoa que é o pequeno tirano que te faz sofrer, seja uma pedra de gelo boiando num lago de aguas quentes ou uma fatia de manteiga ao sol.
Com certeza vão derreter; imagine a cena e permita que esse alívio te invada. Tudo sumindo.
Descanse nesse alívio.
Você sentirá a negatividade se desarmar e a confusão acalmar.
Aproveite esse momento de paz. Se dê essa permissão.
Isso vai dar um intervalo para devolver a lucidez clara além das aparências turvas.
Isso também vai passar, confie!
A única certeza da vida é que tudo muda, tudo é impermanente.
Lembre-se: cada dia é um dia mais perto da solução.        

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

"Budha em Blue Jeans""15

Um pedido pelo mundo

Possam todos os seres ser felizes!
Possam todos os seres ser UM!
Possam todos os seres ter paz.

Você vai aprender isto no quieto sentar!

FIM

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

"Budha em Blue Jeans"14




Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
Beneficie a vida

Doe-se à vida.
Doe-se à família.
Doe-se à sociedade.
Doe-se aos outros.
Doe-se à criatividade.
Doe-se à terra.
Doe-se à humanidade.
Doe-se à espiritualidade.
Doe-se às coisas que importam.
Beneficie toda a vida e traga felicidade.
Divirta-se beneficiando a vida!
Você vai aprender isto no quieto sentar!

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

"Budha em Blue Jeans"13

                              “Budha em Blue Jeans”13
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
Não prejudique
Faça o seu melhor para não prejudicar.
Prejudicar acontece porque somos humanos.
Perdoe os outros por prejudicar.
Perdoe-se por prejudicar.
Continue fazendo o possível para não prejudicar.

Você vai aprender isto no quieto sentar!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

"Budha em Blue Jeans"12


                             
Viva com gratidão

Você recebeu o presente da vida.
Sinta-se grato por este presente surpreendente.
Tudo é um presente.
Sinta-se grato por tudo.
Divirta-se se sentindo grato por tudo.

Você vai aprender isto no quieto sentar!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

"Budha em Blue Jeans"11

Sonhe

O mundo é sonho.
No sonho tudo está conectado.
No sonho você está aberto.
No sonho você está livre.
No sonho você é feliz.
Divirta-se sonhando!

Você vai aprender isto no quieto sentar!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

"Budha em Blue Jeans"10


                              
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
Surpreenda-se

Todos os momentos são uma surpresa.
Tudo que acontece é uma surpresa.
Toda experiência é fresca.
Eventos não são tuas ideias sobre eles.
Encontre o mundo sem expectativas.
Divirta-se sendo surpreendido!

Você vai aprender isso no quieto sentar.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

"Budha em Blue Jeans"9


                              
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
_Ouça os outros
Ouça os outros, os abençoe, conecte-se com eles, se harmonize com eles.
Ouça sem agenda.
Ouça sem expectativas.
Ouça as palavras.
Ouça as experiências atrás das palavras.
Ouça as posturas e expressões.
Ouça o tom emocional.
Ouça sem tomar como pessoal.
Ouvir te tira do campo autocentrado.
Ouvir é bondade.
Divirta-se ouvindo os outros!


Você vai aprender isso no quieto sentar.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

"Budha em Blue Jeans"8

                            

Ame indiscriminadamente

Ame indiscriminadamente (sem preconceitos).
Este é o Grande Amor.
O objeto de seu amor não importa.
Você é amor.
Ame as chamadas lindas coisas.
Ame as chamadas coisas feias.
Ame coisas familiares e as não familiares.
Ame as pessoas que gosta e as que não gosta.
O oceano do amor corre por todo lugar.
Tudo no universo é você.
Amar tudo é amar você mesmo.
Amar você mesmo é amar tudo.
Não há muros no mundo do amor.
Divirta-se amando indiscriminadamente!


Você vai aprender isto no quieto sentar!

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

"Budha em Blue Jeans"7

                              
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
Viva bem cada momento

O agora é só o que você tem.
O passado é memória.
O futuro é desejo.
O agora é real.
Continue te trazendo para o agora.
Fique conectado com seu corpo agora.
Fique conectado com a Terra agora.
Fique conectado com este lugar agora.
Fique conectado com as pessoas agora.
Fique conectado com o que houver a tua frente agora.
Divirta-se vivendo bem cada momento!


Você vai aprender isto no  quieto sentar!

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

"Budha em Blue Jeans" 6





                              
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
Seja quem você é

Não perca sua vida tentando ser outra pessoa.
Não desperdice sua vida tentando viver além de suas possibilidades.
Não perca sua vida imitando outros.
Não perca sua vida vivendo as expectativas dos outros.
Não perca sua vida invejando os outros.
Seja autentico.
Seja genuíno.
Seja real.
Seja você mesmo.
Você ganhou na loteria, você é você.
Você é Budha em Blue Jeans.
Divirta-se sendo você mesmo!

Você vai aprender isto no quieto sentar!

                                                                                       

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

"Budha em Blue Jeans"5

Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....
A Dor é natural

A Dor é parte natural da vida.
Aprenda  aceita-la.
Aprenda como cuidar dela o melhor que puder.
Diminua as reclamações.
Diminua o autocentramento em volta dela.
Todos têm Dor.
Respire e relaxe na Dor tanto quanto puder.
Por favor, aceite a dor como natural.


Você vai aprender isto no quieto sentar!

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

“Budha em Blue Jeans”4


                             Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior.....

Dê uma sala aos pensamentos:

Teus pensamentos são apenas teus pensamentos.
Eles não são tua vida.
Eles são teus pensamentos.
Faça uma sala tão grande quanto o céu na tua mente.
Teus pensamentos podem ser nuvens que flutuam nela.
Alguns dos teus pensamentos são claros.
Alguns dos teus pensamentos são confusos.
Acredite, são apenas pensamentos.
Uma mente aberta não é apegada a pensamentos e crenças.
Pensamentos podem ser uma prisão.
Observe eles vindo e indo, isso permite você brincar com o universo.
Por favor, observe seus pensamentos indo e vindo!

Você vai aprender isto no quieto sentar.    

quinta-feira, 27 de julho de 2017

"Budha em Blue Jeans" 3



Continuando o texto da semana anterior.....

Aceite seus sentimentos

Seus sentimentos são suas respostas viscerais e de coração ao mundo.
Tudo que você sente está certo.
Sentimentos ( e/ou emoções) podem ser difíceis.
Aceite seus sentimentos.
Às vezes você pode confiar neles como uma resposta honesta sobre pessoas e situações.
Às vezes você não pode confiar neles, são reações a pessoas e situações.
Organize isto.
Seus sentimentos vão te dizer o que realmente necessita.
Aprenda a ser gentil com tuas necessidades não atendidas.
Peça com gentileza o que você quer.
Respeite o direito de todos de dizer sim ou não para tuas necessidades.
Desista de ser autocentrado tanto quanto possível.
Por favor, divirta-se com seus sentimentos!


Você vai aprender isto no quieto sentar.      

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Budha em Blue Jeans 2


Resultado de imagem para buddha in blue jeans

                              
Tai Sheridan

Continuando o texto da semana anterior...
(o capítulo anterior está no blog)

Cuide de seu corpo

Seu corpo é sua vida.
Por favor, cuide bem dele.
Habite seu corpo.
Viva gentilmente dentro dele.
Machuque seu corpo o menos possível.
Você vai ficar surpreso com quantas vezes não se conecta com seu corpo.
É um aprendizado para toda vida.
Durma bem e o suficiente.
Coma bem e não demais.
Mova-se e alongue-se o suficiente.
Aceite e cuide de suas dificuldades médicas.
Você sabe o que seu corpo precisa para ficar saudável e vivo.
Por favor, divirta-se tomando conta de seu corpo!


Você vai aprender isto no quieto sentar. 

sexta-feira, 14 de julho de 2017

"Budha em blue jeans"


                             
Tai Sheridan

Nestas próximas semanas vou compartilhar os capítulos que traduzi deste livro.
Sugiro que escolha um momento tranquilo e leia cada texto em voz alta, calmamente.
Vou compartilhar sem propósitos comerciais e na sua forma original completa porque este é exatamente o desejo do escritor; e, se pensar que é interessante, compartilhe você também com teus conhecidos respeitando esses pedidos do autor
.
Tai Sheridan, Mestre Zen, poeta, psicólogo, seus livros transformam textos budistas clássicos em acessíveis e inspirados versos.
_____________________
Introdução
Este é um livro extremamente breve, simples e direto.
É um guia universal para praticar o quieto sentar e ser você mesmo, que é o mesmo que ser Buda. O quieto sentar pode ensinar você vários meios para aceitar a vida, se encontrar com a dor, agir com delicadeza e morrer sem remorsos.
Escrevi este livro por uma razão: encorajar você ao quieto sentar todos os dias.
Por favor, divirta-se sendo Budha em Blue Jeans: uma pessoa de presença, abertura, amor e beneficio.
Tai Sheridan
Kentfield, California 2011.
Dedicação
Ao Grande Silêncio
“Ouça o som do silêncio”
Paul Simon
Quieto sentar
Esta é a pratica Zen mais importante.
É uma aula para viver uma vida sábia e bondosa.
Sente-se em qualquer lugar e esteja quieto: num colchão, numa cama, num banco, dentro, fora, encostado numa árvore, à beira de um lago, de um oceano, num jardim, num avião, na cadeira de seu escritório, no chão, no seu carro.
Tapetes de meditação também tudo bem.
Sente-se a qualquer hora: manhã, noite, um minuto, 3 anos.
Vista-se com o que tiver.
Deixe a cintura livre para que seus pulmões possam se mover com sua respiração.
Sente-se o mais relaxado possível.
Relaxe seus músculos no início e durante o quieto sentar.
Sente-se com as costas retas mas não duras.
Mantenha sua cabeça (levemente inclinada) de forma que suas orelhas apontem para cima.
Respeite todas as recomendações medicas.
Fique na posição que conseguir.
Todas as posturas estão bem.
Faça como puder.
Deixe seus olhos levemente abertos mas não foque em nada.
Fechar os olhos vai te deixar sonolento, às vezes atribulado.
Respire pelo nariz com tranquilidade.
Divirta-se respirando.
Sinta sua respiração.
Observe sua respiração.
Torne-se sua respiração
Torne-se um gato ronronando.
Siga sua respiração como as ondas do oceano vindo e indo.
Quando se distrair, volte a mais simples e básica experiência de estar vivo, sua respiração.
É isso.
Sem crenças.
Sem programa.
Sem dogma.
Você não precisa ser Budista.
Você pode ter qualquer fé, religião, raça, nacionalidade, gênero, classe social ou capacidade.
Apenas sente tranquilamente, conecte-se com sua respiração e preste atenção ao que acontece.
Você vai perceber coisas.
Exercite quando quiser.
Você decide quanto é suficiente para você.
Se você o fizer diariamente, vai entrar em seus ossos.
Por favor, divirta-se no quieto sentar !

A única forma para aprender o quieto sentar é fazendo.    

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Ondes está a verdadeira natureza

                                                 
Seja na forma que a vida está, nossa natureza budica também está ali. E sempre está perfeita.
Se diz que não somente os Budas podem alcançar isso na sua infinita sabedoria, nem os seres sencientes conseguem roubar isso através sua aparente confusão.
Nossa verdadeira natureza pode ser comparada com o céu, e a confusão da mente comum com as nuvens.
Alguns dias o céu está totalmente obscurecido pelas nuvens.
Quando estamos no solo observando esse céu fica difícil de acreditar que existe algo além das nuvens.
Mas se estivéssemos num avião viríamos que apesar e acima das nuvens existe um céu claro azul sem limites.
Ali em cima, percebemos que as nuvens que acreditávamos serem totais, são tão frágeis e pequenas.
Sempre deveríamos lembrar: as nuvens não são o céu e não pertencem ao céu; elas só estão ali “penduradas” se formando e se desmanchando. Elas não podem manchar nem marcar o céu.
Os episódios difíceis da vida e os melhores também são apenas nuvens; eles não mancham nossa verdadeira natureza budica luminosa sempre presente, que é a nossa base para descobrir um olhar livre para os eventos.
Essa natureza budica lúcida e livre existe para TODOS os seres; alguns percebem e acessam sua existência, outros demoram um pouco mais.
A meditação permite acessar essa natureza.
(seguindo ensinamentos de Sogyal Rinpoche)


quinta-feira, 22 de junho de 2017

O que realmente resta na vida



Com a passagem do tempo tudo no corpo vai mudando, se dissolvendo (morrendo): células, neurônios, glândulas, pele, ossos...até as expressões do rosto e opiniões mudam dependendo da nossa “lua”.
O que chamamos da nossa verdadeira essência básica é um “continuum” de vida, é o que resta, é a base onde as aparências dançam, nada além. Essa a explicação da filosofia budista.
Hoje as coisas estão bem, amanhã um susto, no outro momento a solução, o humor vai mudando e assim vai a vida. De onde veem e para onde vão essas mudanças, o que elas representam?
O que pode ser mais imprevisível do que nossos pensamentos e emoções?
Você tem alguma ideia do que vai sentir ou pensar no próximo minuto?
A mente pensante é tanto vazia quanto impermanente, é transitória como um sonho.
Observe um pensamento: ele vem, fica e vai.
O passado é passado, o futuro ainda não surgiu, até o que você está pensando agora já é passado. A única coisa que realmente temos é o AGORA.
Prestar atenção à respiração, observar os pensamentos passando na mente e nas sensações dos sentidos SEM CONSTRUIR HISTÓRIAS e sem se deixar arrastar por eles, é estabilizar na verdadeira natureza livre.
Isso é um meditação também.
( seguindo ensinamentos de Sogyal Rinpoche)

                

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Meditar, simples ou complicado?

                      
Encontrei uma vizinha que comentou: fiz um curso de meditação, mas ficar com a mente vazia é muito difícil....
Respondo: não é só difícil como impossível. A mente pensante foi feita para pensar.
Muitas vezes as pessoas pensam que meditar é não ter pensamentos e emoções; e quando pensamentos e emoções aparecem, as pessoas ficam aborrecidas e desanimadas consigo próprias e imaginam que falharam.
Nada pode ser tão distante da verdade.
Um ditado tibetano diz sobre essa ideia: “meditar sem pensamentos é impossível como pedir carne sem osso e chá sem folhas.”
Enquanto você tiver uma mente cérebro pensante, você terá pensamentos e emoções.
Meditar é aprender a apenas sentar em quietude e observar o que está sendo projetado na “tela” pela mente do cérebro, pensamentos, emoções, situações, urgências, sensações.

Aos poucos você vai descobrir o que está por trás dessa projeção.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Para que repetir os ensinamentos?

                                           
O caminho para descobrir a liberdade da sabedoria da solidariedade, da ausência de egoísmo, os mestres nos avisam que é através do processo de escutar e ouvir, contemplar e refletir, e meditar.

Avisam também para ouvir repetidamente os ensinamentos espirituais. E a internet também nos facilita muito nesse processo.
Assim como vamos ouvindo, isso nos mantém relembrando, relembrando e relembrando sobre a sabedoria da verdadeira natureza que ainda está oculta.

Gradualmente, ouvindo os ensinamentos, certas passagens e intuições que aparecem neles vão tocar cordas curiosas em nós, memórias da nossa verdadeira natureza livre começam a pingar de volta e um profundo sentimento de familiaridade  essa liberdade irá despertar.

(seguindo ensinamentos de Sogyal Rinpoche)


                                           

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Para escolher um Mestre

                                                 

Dizem os ensinamentos que para escolher um Mestre e seguir os estudos é interessante observar se ele pratica tudo que ensina, ensina tudo que sabe, mantém suas praticas, tem olhar interessado e compassivo para os que o acompanham, não transforma o Darma em produto para obter lucro e, principalmente, pertence a uma linhagem nítida.
Um professor sem linhagem não é capaz de transferir bênçãos.
Conhecer o Mestre,o Mestre de seu Mestre e sua linhagem é importante porque tudo surge por dependência, tudo depende de causas e condições nada se auto-gera. Todos os Mestres verdadeiros tiveram Mestres.
É perigoso confiar em alguém que se autoproclame como revelador de um novo caminho para iluminação, já que não há como verificar a veracidade das suas palavras.
Quem será o professor externo?
Aquele com quem sentirá conexão?
Ninguém além do que a  corporificação e voz de seu “Mestre Interno”.
O Mestre que em sua forma humana e sua voz humana aprendemos a nutrir bondade amorosa mais que a outros é ninguém mais do que a manifestação externa do mistério da nossa própria verdade interna e sutil.
Nutrimos essa conexão porque esse Mestre consegue se fazer ser o espelho da nossa verdadeira natureza.
Sempre com o cuidado de olhar para seus ensinamentos, não para sua humanidade.
Que outra explicação haveria sobre a forte ligação que mantemos com eles?
Essa ligação é a pratica de Guru Yoga, é assim que fazemos uma ponte entre nós e nossa verdadeira natureza.

(seguindo ensinamentos de Sogyal Rinpoche e Dzongsar J. Khyentse)        

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Qual a lição do dia?

                                

Todas as situações são formas de ensinar.

Nossa natureza budica tem um aspecto ativo que é nosso “Mestre interno”.

A cada vez que ficamos obscurecidos, esse Mestre tenta incansavelmente nos trazer de volta para a radiância e para o espaço livre do nosso verdadeiro ser.
Em nenhum momento, esse “Mestre interno” desiste de nós.

Esse “Mestre interno” está e esteve sempre conectado a infinita compaixão de seres iluminados, inteligências sutis, trabalhando para nossa evolução; não somente nesta vida  mas também no passado, usando todos os tipos de meios hábeis e vários tipos de situações para nos ensinar, nos despertar e guiar de volta para a verdade.

Como teu “Mestre Interno” está te ensinando agora?

(seguindo ensinamentos de Sogyal  Rinpoche)



sexta-feira, 19 de maio de 2017

Recado de Buda

                               

Meditação é trazer a mente de volta para “casa” e isso pode ser alcançado através da atenção plena que hoje está na moda usar o termo “mindfulness”.

Uma vez uma mulher foi procurar Buda e perguntou como meditar. Ele disse a ela para permanecer atenta a todos os movimentos de sua mão enquanto ela estivesse puxando água do poço, sabendo que se ela fizesse isso, ela se descobriria rapidamente num estado alerta e de calma espaçosa que é exatamente meditação.

Não puxamos água de poço, mas podemos fazer isso cozinhando, nos lavando, escovando dentes, comendo, dobrando roupas , fazendo exercícios etc

( seguindo ensinamentos de Sogyal Rinpoche)



quinta-feira, 11 de maio de 2017

O Carma

                                                 
Na visão budista carma é ação; mas não uma ação comum. É uma ação que se repete e se transforma em aflição.
As ações/resultados que se repetem e nos levam para estabilidade e paz, recebem o nome de mérito.
Quando recebemos resultados de méritos, despertamos gratidão às nossas ações anteriores, expandimos essas alegrias e continuamos no compromisso de continuar trazendo beneficio aos seres através das 6 perfeições (paramitas) – paciência, generosidade, esforço constante, moralidade (ética), concentração e sabedoria (lucidez).
Na perfeição da generosidade tomamos o cuidado de perceber o que é mais necessário:
Oferecer proteção, oferecer apoio material, oferecer o que se aprendeu (quando perguntado) e/ou oferecer aceitação incondicional.
O carma que produz situações de aflição, sofrimentos, constrói prisões que parecem sem portas; sejam os sofrimentos de dores físicas e mentais, sofrimentos de perdas ou sofrimentos de duvidas e ignorância ( de não saber ou saber equivocado).
Por isso a sensação de felicidade se mistura muito ao desejo de liberdade.
É isso mesmo!
A liberdade está por trás dessas prisões; e elas não são assim tão solidas nem infinitas.
Ao invés de dar atenção à aflição, se motivar como cultivar méritos abre saídas dessas prisões do carma. Vamos nos distraindo e evitando repetir ações viciosas negativas, autocentradas.
Uma boa dica é cultivar olhar apreciativo seja qual for a situação e ...sorrir.
Sorrir sempre, tudo passa!


sexta-feira, 5 de maio de 2017

Quando baratas ameaçam.

                                                     

Além da consciência dos 5 sentidos, da consciência mental e da consciência que arquiva memórias conscientes e inconscientes, temos a consciência aflita que cria estratégias neuróticas para proteger nossa identidade, é o Ego.

Essa consciência aflitiva se apresenta através de 5 emoções principais:
1 – ansiedade / preocupações
2 – raiva / frustrações
3 – dependências / vícios
4 – orgulho / disfarces
5 – solidão / preconceitos

Essas emoções aflitivas são venenos mentais que nos fragilizam porque tentam demonstrar que a vida é uma constante ameaça.
Atrás de cada uma dessas emoções existe um fixação (apego) que escraviza:
Ansiedade ( no futuro) – apego ao controle
Raiva (no passado) – apego às crenças pessoais
Dependências (nas pessoas “importantes”) – apego à opinião dos outros
Orgulho (nas mentiras)– apego à própria imagem
Solidão (na exclusão) – apego aos seus limites

De cada uma dessas emoções nasce uma grande família de outras emoções menores mas importantes também.
Por trás dos apegos existe uma IMPORTANTE origem : os MEDOS. E atrás dos medos a IGNORÂNCIA.

Só nascemos com 2 medos: medo da queda e medo do estrondo, todos os outros vamos aprendendo com as figuras de autoridade de nossa infância. São medos condicionados.
Pessoas a nossa volta, na tentativa até de proteger, exageram, teatralizam e transformam (por exemplo) uma pequena barata num ser altamente perigoso e ameaçador que precisa ser eliminado, quase um dinossauro Velociraptor....


O auto conhecimento tem como objetivo exatamente desconstruir esse aprendizado e despertar o destemor.

Para ansiedade – treinar confiar
Para raiva – treinar entender o outro no mundo dele
Para dependências – treinar se auto valorizar e respeitar
Para orgulho – treinar ser natural
Para solidão – treinar sentir gratidão

E melhor que tudo: perceber a realidade atrás das aparências. Como será na verdade?

A MELHOR SAIDA É MANTER O SORRISO, O OLHAR APRECIATIVO E A MENTE GENEROSA.
PORQUE AFINAL.... A VIDA É UM GRANDE JOGO.


quinta-feira, 27 de abril de 2017

O que faço com os pensamentos

                             

Durante a meditação os pensamentos são como invasores...o que fazer?
Ensina Sogyal Rinpoche:
“Seja quais forem os pensamentos e emoções que surjam durante a meditação, permita que aflorem como as ondas do oceano. Não importa que você se perceba pensando, deixe esse pensamento surgir e aflorar, sem nenhuma limitação. Não se apegue a ele, não o alimente, não o desculpe, não se agarre nele e não tente torna-lo sólido. Não siga os pensamentos nem os convide; seja como o oceano olhando suas próprias ondas, ou o céu olhando para baixo as nuvens que passam através dele.

Você descobrirá rapidamente que os pensamentos são como o vento: eles veem e eles vão. O segredo é não “pensar” sobre os pensamentos mas permitir que eles voem da sua mente, mantendo sua mente livre depois que os pensamentos se forem.”

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Para conviver com ofensas



Sugestão do Mestre Tich Nhat Hanh:
use o mantra: “em parte, você tem razão”.
Quando alguém nos dá os parabéns ou nos critica, devemos utilizar esse mantra. Dentro de mim, eu tenho pontos fracos e fortes. Se você me elogiar, eu não devo esquecer que carrego pontos fracos em meu interior. Quando enxergamos coisas bonitas nos demais, tendemos a ignorar o que não é tão bonito. Sendo humanos, temos pontos positivos e negativos. Portanto, quando uma pessoa amada o elogiar, quando disser que você é a imagem da perfeição diga:
_ “em parte, você tem razão. Tenha em mente que carrego outras coisas dentro de mim.”
Fazendo isso, você será capaz de manter certa humildade. Você não será vítima da ilusão, pois saberá que não é perfeito. Quando alguém lhe fizer uma crítica, diga o mesmo:
“em parte, você tem razão”